O Poder das Redes Sociais

As redes sociais são detentoras de grande “poder de influenciar”, e um exemplo disso foram as eleições presidenciais norte americanas:

“Utilizando vídeos, blogs e sites de redes sociais, pela primeira vez, o mundo acompanhou de perto a campanha presidencial entre os candidatos Barack Obama e John McCain e os efeitos da internet nela. Através do Twitter, por exemplo, era possível acompanhar o que os usuários comentavam da campanha. O vídeo mashup “Yes, we can” (lançado em fevereiro) criado por William do Black Eyed Peas, híbrido de um discurso proferido pelo então candidato Barack Obama durante as primárias de New Hampshire, acompanhado por unia canção e diversas personalidades, rapidamente tornou-se um hit no YouTube. Ao mesmo tempo, durante essa campanha, protagonizou-se um dos maiores índices de comparecimento de todos os tempos nas eleições americanas.”

(Redes Sociais na Internet, Raquel Recuero)

Outro exemplo que podemos citar é o de Santa Catarina:

“O segundo fenômeno aconteceu no Brasil. Em novembro de 2008, urna série de chuvas frequentes gerou urna das maiores catástrofes naturais da história do estado de Santa Catarina. Em alguns dias, o estado viu-se diante do caos: rios transbordaram e inundaram grandes áreas, isolando cidades inteiras; deslizamentos soterraram estradas, casas e pessoas. Durante esses eventos, urna série de blogs, ferramentas de mensagens como o Twitter, mensageiros instantâneos e outros recursos foram utilizados para informar o resto do país a respeito dos acontecimentos. Essas ferramentas mobilizaram pessoas, agregaram informações, criaram campanhas e protagonizaram a linha de frente do apoio que Santa Catarina recebeu.”

(Redes Sociais na Internet, Raquel Recuero)

Estes dois exemplo nos mostram que os conceitos de organização, conversação, identidade e mobilização social estão sofrendo alterações e essas tais alterações são patrocinadas pelas redes sociais, elas têm um potencial enorme pois não interligam computadores e sim pessoas.

Se formos analisar a nossa história recente vamos perceber que os papeis das empresas e dos consumidores sofreram uma grande alteração, há alguns anos atrás as empresas eram as principais formadoras de informações sobre si mesmo e seus produtos, hoje existe um exército de pessoas na rede, tanto para ser uma espécie de embaixador da empresa e das marcas, como para falar mal delas, e diante novas tendências as organizações comerciais tem a obrigação de se “atualizarem” e interagirem com as possibilidades dessa nova era, a era das “Redes Sociais”.

As redes sociais alem de possibilitarem um relação pessoa/pessoa (interpessoal), ela da a abertura também para as relações pessoa/empresa, e essa relação pessoal/empresa precisa ser mantida de uma forma não formal, pois o objetivo dela é trazer o cliente para perto da empresa, mostrar que a empresa se importa com ele, com suas opiniões e suas sugestões mantendo uma aproximação real com ouvidos e olhos atentos em seu cliente, se isso acontecer a empresa terá criado uma real relação pessoa/empresa e não apenas uma relação “comum” e sim uma relação muito valiosa.

Através dessa aproximação que as rede sociais proporcionam a empresa poder de criar um laço muito valioso com seu cliente pois essa aproximação faz com que o cliente tenha uma maior confiança na sua relação com a empresa e assim se tornará mais fiel. O cliente tem o desejo de ser ouvido e se a empresa der voz a ele vai receber em troca não apenas um cliente fiel como também um fã.

Video feito para a capanha politica do Presidente Americano Barack Obama:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s